Mardi Gras: detalhes sobre o carnaval dos EUA

Música, bandinhas, desfiles e grupos sociais fechados fazem parte dessa grande festa. Conheça o alguns detalhes sobre o Mardi Gras

Os Estados Unidos são conhecidos por muitas coisas, e uma delas é a facilidade e competência em criar grandes eventos. Além disso, de fazer com que as pessoas se engajem e façam parte. Você já ouviu falar da magnitude do Mardi Gras, o carnaval norte-americano?

Carnaval é coisa de brasileiro, certo? É, mais ou menos. Podemos afirmar, sem dúvidas, de que o maior e mais bonito carnaval está aqui, no Brasil; mais especificamente, no Rio de Janeiro. Porém, essa linda festa também está presente em muitos outros países além do nosso. Alguns deles:

  • Santa Cruz de Tenerife, Ilhas Canárias (2º maior do mundo)
  • Montevidéu, Uruguai (conhecido com o mais longo do mundo)
  • Veneza, Itália
  • Quebec, Canadá
  • Colônia, Alemanha
  • Quito, Equador

 

Os norte-americanos não ficaram para trás e importaram da França o festival mundialmente conhecido por Mardi Gras, celebrado anualmente em Nova Orleans. Mas por que nessa cidade? Porque ela foi colonizada pelos franceses em 1718. Já no ano de 1875, o estado de Louisiana decretou oficialmente o Mardi Gras como um feriado estadual.

Se você nunca teve a oportunidade de participar dessa grande festa, separamos algumas características e tradições para você conhecer e participar assim que tiver uma oportunidade!

 

Desfiles de rua mais populares

A festança inicia na sexta-feira que antecede a “Terça-feira Gorda” (tradução em francês de Mardi Gras). Durante esse período, há muito com o que se divertir. O ponto alto são os desfiles mais populares: Endymion (sábado); Bacchus (domingo); Zulu e Rex (terça-feira).

Diferentemente de como ocorre no Brasil (muito pelo fato de haver uma disputa oficial entre escolas de samba), lá os desfiles são abertos ao público. Basta entrar no ritmo e seguir os foliões. Também há a opções de assistir a tudo em arquibancadas localizadas em algumas das principais ruas da cidade, como Bourbon Street, Charles Avenue e French Quarter.

Os desfiles oferecem muita música, bebida e performances de dança.

 

King Cake

O nome faz referência aos Três Reis Magos. O bolo é uma mistura de café com canela, pode conter frutas, cream cheese e é feito nas cores do festival: amarelo, verde e roxo. Dentro do bolo, ou embaixo de alguma fatia, eles colocam um pequeno bebê de plástico. Sério! E o que a tradição diz? Quem encontrar e comer essa fatia, deve pagar o próximo bolo ou dar uma festa.

O Big Cake é encontrado em diversas cafeterias ou feito pelas próprias pessoas em casa.

 

Festas privadas

Por lá, nem tudo é festejado na rua, ou como eles falam, outdoor parties. Na verdade, para os moradores locais, o ponto alto do Mardi Gras ocorre em festas formais realizadas em clubes sociais privados. Para os visitantes e até mesmo os próprios moradores, são festas exclusivas, caras e impossíveis de entrar.

Há diversas organizações sociais – ou krewes – que participam do festival. Os três principais são:

  • Krewe of Zulu: é um clube predominantemente formado por negros e criado em 1909. Eles promovem ações benevolentes para os bairros participantes do clube.
  • Krewe of Rex: formado em 1872, foi responsável por criar muitas das tradições que existem até os dias de hoje.
  • Krewe du Vieux: criada para ser uma organização de cunho provocativo no âmbito político e sexual, com apresentações de rua.

O tamanho dessas organizações sociais variam de centenas a milhares de pessoas. É muito difícil de entrar. Além de ser preciso bons contatos sociais, os membros precisam pagar uma anuidade que gira em torno de $1.000. Muitas famílias são membros desses clubes há várias gerações.

 

Flambeaux

São tochas flamejantes acesas desde a primeira parada do Mardi Gras, em 1857. Originalmente, eram acesas por escravos e homens negros, que giravam e dançavam pelas ruas para o deleite das pessoas (esses lhes davam uma espécie de gorjeta). Essas tochas eram necessárias para iluminar a rota do desfile em época que ainda não existiam luzes nas ruas. Hoje, apenas fazem parte do espetáculo.

Gostou das tradições do Mardi Gras de Nova Orleans? É claro que o evento reserva muitas outras opções de festa, brincadeiras, comidas e locais para visitar. Para conhecer tudo, somente estando lá. Mas não esqueça, antes de viajar para um evento tão grande, é importante ter o inglês na ponta da língua, somente assim você irá aproveitar ao máximo. E nesse ponto, sem dúvida nós podemos te ajudar em tudo!

Fontes: Neworleans.com, AFAR, Forbes

 

Leia também

Estude inglês com o Cultural em 2019 5 descobertas famosas de norte-americanos Conheça as principais vias de entrada para os Estados Unidos
Cultural
secretaria@cultural.org.br
Sem comentários

Poste um Comentário